Livros de Areia

quinta-feira, 22 de junho de 2006

Uma possível explicação


Em conversa com Nuno Santos, sempre atento, surgiu uma hipótese de explicação da (minha, pelo menos) estranheza face a esta nova encarnação da LER: Junho.
Lançar uma revista anual a meio do ano permite esta lassidão dos conteúdos: nem se debruça totalmente sobre o ano anterior, nem se tem suficiente afastamento para falar do ano corrente. Uma revista anual que, daqui a 20 anos, ninguém conseguirá ligar a um ano específico. Algo como mudar sem o fazer de facto, ser não sendo, mostrar sem se desvelar... Ah, a doce brisa de Junho!

PM

1 Comments:

Blogger Nuno Santos said...

A mente confusa de "alguns" editores em Portugal origina o fenómeno "nova encarnação", lamento que a Ler tenha sofrido deste mal. Será necessário "Aqui" neste blog dar meia dúzia de exemplos de revistas A-N-U-A-I-S editadas no último trimestre do ano em qualquer ponto do globo??? Ou será que o mercado editorial "respira" apenas durante 6 meses ou foi vítima do referenciado "terramoto" provocando um parto permaturo na sua edição?

3:10 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home