Livros de Areia

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Apresentações

Há dias, na caixa de comentários de um post sobre a (sobrevalorizada) questão do fim dos 10% de desconto na FNAC (post que teve referência, entre outros, no Blogtailors), um auto-indigitado e (claro está) anónimo "PR" das LI (Livrarias Independentes) deixou o seguinte comentário:

"Então e se a LdA pedisse à sua distribuidora que se fosse apresentar às LI? É que há LI que não conhecem a vossa distribuidora. E depois queixam-se de ficarem com as calças na mão quando a fnac muda a estratégia, tal a vossa dependência dela."

Esta obra-prima do desagravo teve a resposta ao mesmo nível na mesmíssima caixa de comentários. Custa-nos crer (e, de facto, não cremos) que tal prosa tenha partido de um livreiro (independente ou não), mas, porque foram ali mencionados agentes e entidades com quem temos trato directo e indirecto, tomámos a iniciativa de contactar as LI (no espírito de transparência que deve imperar nos canais de informação entre editores e livreiros), seguindo a listagem disponível no blogue da Pó dos Livros, com a excepção da livraria Solmar em cujo blogue não se encontrou qualquer email de contacto.

Do email, permitimo-nos, e no espírito da supra-referida transparência, transcrever este excerto:

"Mesmo quando pequenos editores e distribuidores não podem oferecer jantares em que se 'apresentam' aos livreiros, os canais de informação e troca de impressões estão abertos em permanência e são até bastante baratos. (...) As Livrarias (Independentes ou não) não devem afirmar-se apenas quando uma grande cadeia resolve acabar com um desconto sobre o PVP (coisa que é até benéfica, do ponto de vista do editor): é sua obrigação prestar sempre um serviço condigno a leitores e a toda a comunidade ligada ao livro em geral, editores incluídos, coisa que sabemos que as livrarias designadas pela sigla LI fazem, tendo nós mesmo até elogiado no nosso blogue algumas delas, e outras livrarias independentes, muito tempo antes de tal sigla existir."

A única resposta que obtivemos (da livraria Trama, de Lisboa, através dos livreiros Catarina Barros e Ricardo Ribeiro ) será considerada por nós como representativa de todas as livrarias contactadas, e o assunto fica aqui encerrado, pelo que nos toca.

Etiquetas:

2 Comments:

Anonymous Helena S (Lisboa) said...

Mas há livrarias "independentes"? Por exemplo, tirem a ligação da Tinta da China à Bulhosa, e ficam com uma livraria de bairro às moscas... Como leitora sempre preferi as grandes superfícies onde somos atendidos por livreiros "anónimos": essas pelo menos não querem vender uma independência que de facto não têm.

11:17 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

A TInta da China à Bulhosa? Deve querer dizer à Pó dos Livros.... não?

11:52 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home